Como a dieta DASH pode ajudar na prevenção de doenças crônicas?

Dieta é considerada uma importante aliada no combate a diversas doenças

salmon-518032_1280


Você conhece a dieta DASH? Juntamente com a dieta do Mediterrâneo, ela é capaz de prevenir inúmeras doenças. A acadêmica do curso de Nutrição do Centro Universitário Integrado, Giovana Vanessa Antonio, vai explicar um pouco mais sobre essa dieta e como ela pode te ajudar. Para começar, você sabia que hoje, as Doenças Crônicas Não-Transmissíveis (DCNT) são responsáveis por 80% das mortes em países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento?

Entre as DCNT mais conhecidas está o Acidente Vascular Cerebral (AVC), que é a doença cerebrovascular citada como a mais importante causa mundial de incapacidade. O AVC é um fenômeno vascular agudo que provoca a súbita perda de função cerebral, resultante da interferência no suprimento sanguíneo, podendo ser do tipo isquêmico ou hemorrágico.

Diversos fatores de risco podem desencadear um AVC, e um dos mais comuns é a hipertensão arterial sistêmica (HAS). Seguindo esse contexto, têm sido realizados diversos estudos sobre uma forma alternativa de prevenção e tratamento da HAS e a dieta DASH tem se mostrado muito eficiente. Mas você sabe o que é a dieta DASH?

Nessa dieta recomenda-se o consumo de frutas, verduras, produtos lácteos com baixo teor de gordura, cereais integrais, peixes, aves e nozes, incentivando ainda um menor consumo de carnes vermelhas, doces e açúcares, além da diminuição do consumo de sal. Ao seguir a Dieta DASH, aumentamos a ingestão diária de potássio, magnésio, cálcio e fibras, o que contribui para reduzir os níveis pressóricos, fazendo com que a pressão se mantenha a mais normal possível e, consequentemente, diminua as chances de um AVC.

Além disso, essa dieta é classificada também como saudável para o coração, pois ao contrário das outras dietas da moda, que requerem restrições extremas de grupos de alimentos e não possuem evidências científicas, a DASH promove a realização de mudanças flexíveis na alimentação, sendo elas aprovadas em conselhos nutricionais.

Para testar se a dieta tem realmente um efeito preventivo nos casos de AVC, foi realizado um estudo na qual três grupos foram criados: o primeiro, que recebeu orientações padrões já estabelecidas pelas diretrizes (perda de peso, redução na ingestão de sal e bebida alcoólica e aumento da atividade física); o segundo, que recebeu as mesmas orientações do primeiro, porém associadas à dieta DASH; e o terceiro, que recebeu somente aconselhamentos nutricionais em apenas um encontro. Após seis meses, foi possível observar que todos os grupos diminuíram progressivamente a pressão arterial, porém a maior prevalência dessa diminuição foi no grupo que recebeu as orientações mais associação com a dieta DASH.

Com isso, podemos perceber que a utilização dessa dieta, associada a modificações do estilo de vida são estratégias muito eficientes na redução de eventos como o AVC, além de ser um método não medicamentoso eficaz, de baixo custo e que não possui efeitos colaterais.

Referência

PIPER, Vanessa Alves; et al. Dieta DASH na redução dos níveis de pressão arterial e prevenção do acidente vascular cerebral. Scientia Medica (Porto Alegre), 2012, volume 22, número 2, p. 113-118. Disponível em: <http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/scientiamedica/article/viewFile/10525/8169>. Acesso em: 13 de Junho de 2018.

Texto: Giovana Vanessa Antonio, acadêmica do curso de Nutrição do Centro Universitário Integrado.

Comentários
0