Universitários de Psicologia participam de evento sobre saúde mental

Atividade é realizada em alusão ao Dia Nacional da Luta Antimanicomial

 

60474386_430067054224952_1615323756777963520_n


Foi realizado, na semana passada, em Campo Mourão, o evento "Café, saúde e prosa: desafios e possibilidades da política em saúde mental", em alusão ao Dia Nacional da Luta Antimanicomial. Estiveram à frente da organização do evento as instituições formadoras em Psicologia (Centro Universitário Integrado e Faculdade Unicampo) e os serviços especializados em saúde mental do município. 

 

60486271_380880492520517_1163552643881107456_n


A ação foi realizada na Casa da Cultura e teve como público-alvo os familiares e usuários dos serviços. Acadêmicos do curso de Psicologia do Integrado, em especial os do 9º período que estagiam no Caps de Campo Mourão, trabalharam com bastante zelo para que o evento atingisse seus objetivos com sucesso. 

 

60356767_2192527970794847_8369347777506836480_n


Para a coordenadora do curso de Psicologia, Thaís Serafim, organizar um evento para usuários dos serviços de saúde mental e seus familiares/cuidadores foi extremamente importante. "Anualmente, realizamos atividades alusivas à Luta Antimanicomial, mas sempre com a lógica de capacitar nossos alunos e profissionais de Campo Mourão e região. Pela primeira vez nos envolvemos em uma atividade que se destina àqueles que usufruem dos serviços. É, sobretudo, com estes que devemos unir forças em um momento que presenciamos inúmeros retrocessos nas políticas de assistência. Hoje, infelizmente, não temos motivos para celebrar, mas nos engajamos em estudar, discutir e instrumentalizar as pessoas para que compreendam a importante trajetória da reforma psiquiátrica brasileira, de modo a lutarem pela manutenção e garantia dos direitos já adquiridos", destaca.

O dia 18 de maio marca, no Brasil, o Dia Nacional da Luta Antimanicomial. A data, instaurada em 1987 na cidade de Bauru, durante o Congresso de Trabalhadores de Serviços de Saúde Mental, deu visibilidade ao Movimento da Luta Antimanicomial, adotando o lema "Por uma sociedade sem manicômios" e inaugurando uma nova trajetória da proposta de Reforma Psiquiátrica Brasileira. De lá para cá seus objetivos se concentram na proposição de mudanças no cenário da Atenção à Saúde Mental, sobretudo, questionando as relações de estigma e exclusão que social e culturalmente se estabeleceram para as pessoas que vivem e convivem com os “transtornos mentais”. 

 

Comentários
0