Universitários ressaltam importância da Educação Física nos primeiros anos de vida

Artigo é produzido por estudantes do 6º período da graduação 

 

educa-1


A Educação Física auxilia na alfabetização de crianças nos anos iniciais devido a sua condição interdisciplinar, o que faz com que seja uma disciplina que propõe, além do cuidado como físico e saúde, também o trabalho de aspectos cognitivos das crianças, que, por meio de atividades físicas adequadas, desenvolva o indivíduo integralmente, de forma que possibilite o alcance de um ápice de suas capacidades físicas e mentais trabalhando assim na construção de suas personalidades e imersão na sociedade (TORRES, 2019).

O desenvolvimento motor infantil se dá pela integração de três fatores principais: o indivíduo e suas características motoras, psicoafetivas e cognitivas, o ambiente em que está inserido esse indivíduo e a tarefa que é realizada por ele ao longo do seu desenvolvimento. Logo, compreende-se que, para que ocorra um desenvolvimento de forma integral, todos esses fatores devem integrar-se entre si e a Educação Física dentro desse contexto, pode e deve permitir experiências que estimulem todas essas esferas (GALLAHUE E OZMUN, 2005).

Deve-se posicionar o aluno de forma participante e imprescindível na busca e criação do conhecimento, sendo necessária uma combinação entre ação, sentimento e pensamento. A educação física escolar participa dessa reflexão de maneira a propor a execução de exercícios corporais que ao serem descobertos e vivenciados pelos alunos tenham significado, conectando assim, movimentos do corpo com maneiras diferentes de sentir e pensar o mundo. O professor de educação física pode mesclar atividades corporais (motoras) e atividades que envolvam a imaginação de papéis sociais, com isso, a partir de atividades lúdicas, temos a relação de ação motora e pensamento (OLIVEIRA E CAMINHA, 2014).

Estudos recentes confirmam que situações manipulativas aproximam os participantes dos conceitos que precisam ser compreendidos por eles, por exemplo, em uma situação de aprendizagem da operação matemática de soma, situações manipulativas de agrupar formas geométricas fez com que os participantes do estudo conseguissem assimilar essas experiências com os acertos esperados para os conceitos matemáticos envolvidos (FERNANDES, 2015).

Os autores Oliveira e Caminha (2014) descrevem uma experiência pedagógica realizada com alunos do 3° ano do Ensino Fundamental de uma escola pública de Natal – RN, tematizando o jogo de peteca da seguinte forma: realizaram a leitura de um texto que contextualizava o jogo em toda sua história até sua institucionalização como esporte; então as crianças confeccionaram suas próprias petecas e posteriormente construíram regras coletivas e vivenciaram o jogo em grupos pequenos e grandes. Em todas etapas descritas acima há um alto grau de complexidade e exigência cognitiva dos alunos, o que contribui tanto para o desenvolvimento de aspectos motores como também de aspectos cognitivos dos mesmos; o desenvolvimento do aspecto afetivo, por sua vez, fica por conta dos momentos de socialização e integração entre os alunos. Uma observação importante a ser feita é que os aspectos desenvolvidos acima citados (motor, cognitivo e afetivo-social) constituem-se de forma simultânea e não de forma isolada em determinados momentos da aula.

O trabalho de aspectos motores e cognitivos conjuntamente, proporcionam a criança o desenvolvimento de seu lado criativo e espontâneo, preparando-a para a aquisição de novos estímulos, que podem ser direcionados para a leitura e escrita em se tratando da alfabetização.Esse aspecto criativo e espontâneo está associado a atividades psicomotoras, no qual as crianças produzem o material de acordo com a sua visão de mundo e dessa forma participam da criação do conhecimento e atribuem um significado a aula.

Essa cooperação da Educação Física com a alfabetização, em questão, realiza-se de forma natural e lúdica, por meio de jogos e brincadeiras, fazendo com que o aluno seja estimulado em aspectos cognitivos e recursos motores sem que o mesmo perceba que está aprendendo e sem que seja coagido a isso (TORRES, 2019).

A partir disso, os acadêmicos do Curso de Educação Física (Licenciatura e Bacharelado) buscam trazer essas informações para a comunidade escolar em geral, com o intuito de esclarecer a grande importância que a Educação Física exerce durante a formação integral dos alunos, e também, enfatizar a necessidade de que os conteúdos sejam adequados as capacidades dos alunos, e principalmente, trabalhados de forma interdisciplinar, para que todas as matérias atuem como forma de complemento da outra, continuação do processo de aprendizagem tanto por meio de experiências físicas como cognitivas. Destaca-se que a contribuição e incentivo dos pais é indispensável para que a educação fornecida atue no desenvolvimento integral dos educandos.

REFERÊNCIAS:
TORRES, Renata Andrade. A EDUCAÇÃO FÍSICA NA ALFABETIZAÇÃO. Revista Artigos. Com, v. 7, p. e1743-e1743, 2019. Disponível em: <https://acervomais.com.br/index.php/artigos/article/view/1743/840>. Acesso em: 18 out. 2019.

Crédito da imagem: Getty Images

Comentários
0